1. Pode dinamizar/ sensibilizar instituições que tenham capacidade para acolher uma família de refugiados;
2. Pode ajudar a divulgar a PAR e divulgar as suas iniciativas;
3. Pode contribuir financeiramente quando for lançado o programa PAR LINHA DA FRENTE;
4. Quando for divulgada a lista de instituições que irão acolher famílias, poderá ajudar no seu acolhimento, respondendo às necessidades que forem detetadas;
5. e residir em Lisboa, poderá ajudar no Secretariado Executivo do PAR, no tratamento administrativo das ofertas das instituições e nas candidaturas de famílias, na gestão de voluntários, etc.
6. Pode ajudar através das suas redes pessoais a promover uma cultura de paz e de solidariedade, combatendo a xenofobia e o egoísmo.